Como internacionalizar a sua loja online com sucesso

    Nuno Teibão
    Nuno Teibão

    A liberalização mundial do comercio não tem que ser uma ameaça. Antes, pode ser uma oportunidade se a soubermos aproveitar.

    Uma das grandes vantagens do e-commerce é o facto de não conhecer barreiras geográficas, pois enquanto que uma loja física fica limitada à sua área geográfica de actuação, uma loja online pode vender para qualquer ponto do globo.

    Ainda assim vender para todo o mundo pode resultar numa empreitada bastante dispendiosas e pode não ser a melhor estratégia para uma marca ou loja online que está a começar a dar os primeiros passos.

    Por isso a escolha do mercado, ou mercados, onde vender é uma decisão que pode ditar o sucesso ou fracasso do seu negócio

    Como tal, qual a estratégia de sucesso para internacionalizar a sua loja online?

    Estando decidido o o que? Ou seja o produto a vender. O passo seguinte é decidir onde. E como podemos fazer isso? Uma ferramenta gratuita com informação muito relevante é o Google Market Finder que pode encontrar fazendo clique aqui.

     Esta ferramenta permite analisar o mercado de todos os países a nível mundial, dentro de uma determinada categoria de produtos.

    Assim, estando definido o nosso produto e a categoria em que se insere basta fazermos “Sign In” com a nossa conta do Google, e introduzirmos o endereço da nossa página web, ou caso não tenhamos ainda página web, ou a mesma seja muito recente, podemos colocar de uma marca concorrente ou que actue na mesma categoria do nosso produto.

    Imaginemos que queremos, por exemplo, vender sapatilhas, uma marca conhecida é a NIKE, se colocarmos o termo nike no Google sai-nos que o endereço da sua página web é www.nike.com. Copiamos este endereço para a barra de busca do Google Market Finder, fazemos check-in na caixinha de confirmação dos termos do serviço e carregamos no “enter”.

    O Google encontra automaticamente as categorias mais indicadas para a tipologia de página online, no caso em questão eliminamos todas as categorias encontradas pelo Google e mantemos apenas “Running & Walking” porque é a única que se adequa ao produto “sapatilhas”, fazemos scrool para baixo e carregamos em “I’M IN, LET’S GO”

     Preenchemos os restantes dados, assinalamos a caixinha de confirmação, e carregamos no botão NEXT no canto inferior direito.

    No campo “Market filter” escolhemos os países para os quais estamos a pensar exportar. Por exemplo: “United Kingdom” e “Spain”.

    Adicionamos estes 3 mercados à shortlist carregando no botão “+ADD MARKET” para cada um dos países e vamos ao separador “YOUR SHORTLIST”, e encontramos aí a comparação entre os mercados escolhidos e o mercado doméstico de Portugal.

     Se carregarmos em “MORE DETAILS” conseguimos aceder a dados específicos sobre o país, desde dados demográficos, a dados sobre renda, a dados económicos, de comportamento de compra, logística e outros.

    Mas olhando só para os dados principais, podemos concluir que para a categoria em questão Portugal terá cerca de 450 mil pesquisas de termos relacionados com as categorias seleccionadas, enquanto que o Reino Unido tem 3 milhões e Espanha 2 milhões, o que torna estes mercados muito mais interessantes em termos de número de potenciais clientes, dentro das categorias seleccionadas. 

    Já relativamente à renda média por lar Portugal encontra-se perto de Espanha, e o Reino Unido apresenta uma renda por lar muito superior. O que à partida torna este mercado mais apetecível do que o espanhol, porque não só tem mais clientes potenciais como o poder de compra é também superior. 

    A facilidade de fazer negócio no Reino Unido é bastante superior a Espanha, pois este encontra-se no posto #7 do ranking enquanto Espanha está no ponto#32. 

    Estes 3 factores parecem indicar que o Reino Unido é muito mais interessante enquanto mercado potencial para a exportação desta categoria de produtos do que Espanha.

    No entanto, o CPC (Custo Por Click) dos termos de pesquisa das categorias de produto em análise é o triplo no Reino Unido comparativamente a Espanha. O que indica que a uma campanha de publicidade online no Reino Unido pode ser 3 vezes mais dispendiosa do que em Espanha, para um alcance similar do publico alvo. Ou seja, internacionalizar as vendas da sua loja online para o Reino Unido pode trazer mais resultados de vendas, mas o investimento publicitário online pode ser mais dispendioso.

    E isto quer dizer que devemos escolher vender para Espanha no lugar do Reino Unido? Depende.

    Se tivermos capital para fazer esse investimento, o custo será mais elevado, mas o retorno também será mais elevado. Ou se, mesmo não tendo esse capital, optarmos por uma estratégia de baixo risco como por exemplo uma estratégia de afiliação em que pagamos aos sites anunciantes ou blogers por unidade vendida, só estaremos a pagar se vendermos e em função do que vendermos, e não a fazer um investimento publicitário à cabeça sem garantia de retorno.

    Esta ferramenta não nos dá todas as respostas, mas ajuda-nos a responder a muitas perguntas sobre os mercados para onde poderemos internacionalizar as vendas da nossa loja online.

    Outra análise que o poderá ajudar a saber sobre que mercado escolher, é analisar a sua concorrência online nos diversos potenciais mercados. Para o fazer pode utilizar 3 ferramentas gratuitas para espiar a sua concorrência que pode encontrar aqui

    Pode também ficar a conhecer o novo projecto da Portugal Footware a inovadora loja online pensada para o mercado americano, com uma estratégia co-criação com micro-influencers internacionais, que permite a captação de tráfego bastante qualificado qualificado, e de baixo risco de investimento pois só paga se vender: www.weareunderdogs.com.

    Pode ainda descobrir 10 passos e 10 ferramentas para criar uma loja online de sucesso aqui.

    Ou também 3 ferramentas gratuitas online com que pode analisar a sua concorrência aqui.

    Leave a comment